Anuncios

Ofertas de trabajo

Especiales más

Top 5 - Ayer

Top 5 - La semana pasada

Top 5 - El mes pasado

Brasil: Comércio varejista oferece novas variedades de batatas para o consumidor

Representantes de supermercados e sacolões da região metropolitana de Belo Horizonte se reuniram nesta terça-feira na CeasaMinas, em Contagem, para conhecer o Projeto de Segmentação do Mercado de Batatas. O trabalho vem sendo desenvolvido pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), em parceria com a CeasaMinas e a iniciativa privada. Atualmente aplicado em dois sacolões, o projeto será ampliado para mais 58 estabelecimentos.
 
O objetivo do projeto é disponibilizar informações sobre o uso culinário específico para cada variedade do produto. “A segmentação permite que o consumidor escolha a batata pelo tipo de prato que deseja preparar, já que existem variedades próprias para fritar, cozinhar e assar”, explica Joaquim Alvarenga, engenheiro agrônomo da CeasaMinas e coordenador do Setor de Agroqualidade da estatal.
 
O Projeto de Segmentação do Mercado de Batatas prevê a introdução, no varejo, de variedades já produzidas em Minas Gerais: Asterix e Cupido. Nas lojas participantes, o consumidor será orientado e terá acesso a informações sobre cada uma dessas variedades. A Asterix, por exemplo, possui alto teor de material seco, o que favorece a fritura. Assim, ela fica crocante e seca, ao contrário da Ágata, que fica encharcada e murcha quando é frita. “A Ágata é ideal para fazer salada, pois ela tem muita água. Depois de cozida, ela não quebra quando é cortada. Ela continua firme”, explica o técnico da CeasaMinas.
 
Segundo o proprietário das Organizações Lisboa, Aurélio Lisboa Penido, o consumidor compra baseado principalmente na aparência do produto. “De um modo geral, ele não tem nenhuma informação sobre hortigranjeiros. E com esse trabalho, estamos seguindo uma tendência mundial, já observada em outros países como Estados Unidos, Itália, Portugal e Espanha. Vamos disponibilizar informações a quem compra sobre a qualidade e para que serve o produto”, afirma. A rede de sacolões Lisboa comercializa uma tonelada por dia de batatas.
 
O desconhecimento do mercado, acrescida do fato de que o consumidor está cada vez mais exigente, fez com que a batata in natura perdesse espaço na mesa dos mineiros, acarretando redução do volume de produção. A solução que o consumidor encontrou foi comprar a batata industrializada congelada e pré-frita no supermercado. A indústria já usa a variedade própria para fritar.
 
A ideia do projeto é reverter essa situação, aumentando a procura e, consequentemente, a produção. “Estamos aderindo ao projeto e com boas expectativas, visando não apenas ao aumento das vendas, mas também a satisfação dos nossos clientes”, assegura a representante da NL Frutas e Legumes, Mara Cristina Amaral Santos. A rede comercializa cerca de 16 toneladas de batatas por dia, principalmente da batata Ágata. Mas também já oferece a variedade Asterix.
 
Produção
 
Minas Gerais é o maior produtor de batatas no Brasil. Em 2010, o estado colheu 1,2 milhão de toneladas – o equivalente a 48% da safra nacional. Apesar dessa situação, Minas Gerais concentra sua produção em apenas uma variedade, a Ágata, que é adequada apenas para o preparo na forma assada e cozida a vapor. Por isso, a CeasaMinas e Secretaria de Agricultura de Minas Gerais criaram o projeto.
De acordo com o secretário de Agricultura, Elmiro Nascimento, a venda segmentada representa um grande diferencial de mercado, que gera benefícios para todos os envolvidos. “O produtor ganha ao agregar valor ao produto e ao conquistar mercados específicos para as novas variedades de batata. Para o comerciante, a profissionalização da venda contribui para aumentar a proximidade com o consumidor, que tem suas necessidades atendidas, estabelecendo um círculo na cadeia produtiva”, explica.
 
O projeto prevê tamém o treinamento dos lojistas e funcionários em seus pontos de venda pelos técnicos da Seapa e da CeasaMinas. A comunicação nas lojas também será reforçada com cartazes e banners explicativos sobre cada variedade. O trabalho conta, ainda, com o apoio do Movimento das Donas de Casa. Na avaliação do secretário da Associação dos Bataticultores do Sul de Minas, José Daniel Rodrigues Ribeiro, o trabalho é um importante passo na organização do setor, uma vez que o consumidor terá à disposição produtos diferenciados, de acordo com a aptidão culinária de cada variedade.
 
Indicações culinárias

Ágata: indicada para assar a cozinhar. É uma batata mais firme, que não desmancha. Ideal para saladas.
Asterix: indicada para fritar e cozinhar. É uma variedade que não encharca e fica mais crocante.
Cupido: indicada para assar e cozinhar. Assim como a Ágata, é uma batata que não desmancha, por ser mais firme.

Assessoria de Comunicação – Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e
Abastecimento de Minas Gerais
Jornalista responsável: Márcia França
Tel: (31) 3915-8552
Twitter: @agriculturamg

Fecha de publicación:



Reciba la newsletter gratis | haga clic aquí


Otras noticias en este sector:


¡Suscríbase a nuestra newsletter y manténgase al día con las últimas noticias!

Suscribirse Ya soy suscriptor